Deputado punido no mensalão do PT retorna ao cargo público em SP

valdemar-costa-neto-mensalao-pt

Condenado no processo do mensalão do PT, o deputado Valdemar Costa Neto (SP) foi reconduzido ao cargo de secretário-geral do PR da Executiva Nacional do partido.

Valdemar foi condenado pelo STF (Supremo Tribunal Federal) por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. De acordo com o estatuto do partido, ele poderá ficar no cargo nos próximos quatro anos.

A recondução ocorreu em reunião da Executiva Nacional em Brasília no último domingo. Na ocasião, o senador Alfredo Nascimento (AM) também foi mantido na presidência nacional do partido. Os demais postos da Executiva também não foram alterados.

Apesar de ser considerado o “dono do PR”, a permanência de Valdemar em um cargo da Executiva é contestada nos bastidores por integrantes da legenda. Para os dissidentes, a atual tese é de que Valdemar deve sair do cargo assim que o processo do mensalão transitar em julgado no STF.

“Após a decisão transitar em julgado, é óbvio que ele vai deixar o cargo. Ele será o primeiro a tomar a iniciativa. Já está acertado entre os integrantes da Executiva”, disse um integrante do partido que não quis se identificar.

Por outro lado, o líder do PR na Câmara, Lincoln Portela (MG), diz que não há constrangimento caso Valdemar fique no posto, mesmo após o desfecho do processo. “Não há sentimento contrário em relação ao Valdemar dentro do partido”, disse Portela.

Deixe um comentário

*

*